domingo, 22 de abril de 2012

Segundas linhas em vitória difícil

Nacional vs Sporting (HOMEM DE GOUVEIA/LUSA)
Rubio marcou seu 1º golo oficial
Vencemos em casa do Nacional por 3-2 e consolidámos o quarto lugar, tendo agora mais 5 pontos que o Marítimo. O sonho (improvável) de atingir o terceiro posto mantém-se, pois o Braga está agora a 6 pontos. Só faltam três jornadas, mas recebemo-los na ultima jornada em nossa casa. Quanto a este jogo, foi um triunfo arrancada a ferros, até porque o Sporting jogou com 10 desde os 58 minutos, devido a expulsão de Rubio.
Em tarde de poupanças, Sá Pinto manteve como titulares apenas Xandão, Carriço e André Martins, se compararmos com a partida diante do Atlético de Bilbau. De resto, entre Carriço e Martins, um ficará de fora em Bilbau para dar entrada a Matías Fernández, que estará ao que tudo indica recuperado de lesão.
O Sporting entrou bem e Carrillo rematou com perigo logo nos primeiros segundos. A resposta do Nacional foi boa, mas aos 12' Rubio inaugurou o marcador, aproveitando um ressalto na área. Um jogador do Nacional havia caído na área 3 segundos antes e ficou pelo chão, mas o jovem chileno não ia certamente parar a jogada... Aliás, nem deve ter-se apercebido, tal a rapidez do lance. Foi o primeiro golo oficial do jovem chileno de 18 anos ao serviço dos leões.
Os jovens leões exibiam-se de forma muito personalizada, pressionando no campo todo. Rubio era o primeiro defesa, não deixando os centrais 'alvinegros' respirar. E nas únicas duas vezes em que a baliza de Marcelo Boeck esteve em perigo nos primeiros 30 minutos, Onyewu fez dois cortes impecáveis.
André Martins (que pezinhos!) era o patrão e foi dele a jogada do 2-0, concluída com um remate de fora da área de Renato Neto, aos 32'. Mais um jogador que se estreou a marcar com a camisola do Sporting.
A resposta do Nacional foi imediata, com Mateus e reduzir a desvantagem, aproveitando falha de marcação de Arias. A equipa de Pedro Caixinha cresceu com o golo e até ao intervalo dominou por completo, embora sem criar situações de perigo para a baliza de Marcelo Boeck.
No recomeço, Renato Neto ficou nas cabinas, entrando Schaars para o seu lugar. O Sporting era mais esclarecido, com exceção dos lances em que a bola chegava a Carillo. O extremo peruano esteve muito complicativo e nunca conseguiu desequilibrar.
Ao minuto 58, Diego Rubio não fez jus aos seus 18 anos. Parecia que tinha 10, ao colocar de forma incrível a mão à bola, de forma ostensiva. Já tinha amarelo e viu naturalmente o segundo. Já não fará outra igual de certeza... De imediato entrou Van Wolfswinkel, que rendeu André Martins, que estava a ser o melhor em campo. Aos 65' entrou Jeffren, saindo Arias. Bruno Pereirinha recuou para lateral direito. O Sporting só arriscava pela frente, tentando aproveitar a velocidade do extremo espanhol. Isto porque Carrillo não dava uma para a caixa...
Aos 74' o Nacional chegou ao empate por Keita, depois de um alívio disparatado de Pereirinha contra Onyewu. O avançado, acabado de entrar, não desperdiçou.
Mas na resposta, Van Wolfswinkel foi carregado pelo guarda-redes Marcelo dentro da área e o próprio holandês encarregou-se de marcar, com sucesso. Foi o 20º golo de Van Wolfswinkel esta época (10º no campeonato), ultrapassando a marca de Liedson na sua primeira época de leão ao peito.
Aos 83' os jogadores do Nacional protestaram penálti por mão de Xandão, mas Carlos Xistra parece ter decidido bem ao nada assinalar. Até ao final, destaque para duas grandes defesas de Marcelo Boeck, na sequência de remates de Claudemir e Candeias. Isto numa fase em que o Sporting defendia muito mal, só lhe valendo o seu excelente guarda-redes, habitual suplente.

[Homem do jogo] Rubio - Foi para mim o homem do jogo por tudo o que fez, de bom e de mau... De bom, foi a sua exibição combativa e pelo golo pleno de oportunismo; de mau, a sua expulsão infantil que teve consequências no resultado final. És Diego, mas não Maradona!
Onyewu - De regresso e já deu cartas na luta com Polga pela titularidade. Num jogo difícil na Choupana, foram de Onyewu os cortes mais providenciais que tiraram muitas oportunidades aos madeirenses. E ainda dominou nas alturas como lhe compete.
Marcelo - Não teve muito trabalho, mas na parte final da partida, Marcelo Boeck mostrou serviço e segurou a vitória do Sporting com um bom conjunto de defesas. Nos golos sofridos, ficou isento de culpas.
André Martins - Mais uma boa exibição, onde se mostrou o mais esclarecido na hora de atacar.
Carrillo - Uma péssima exibição, com muitas falhas. Por vezes exagera na finta e acaba por permitir contra ataques perigosos.

2 comentários:

Carlos disse...

"Só faltam três jornadas, mas os recebemos a eles": os recebemos a eles?

Leo disse...

Obrigado pela correção amigo Carlos!

;)