segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

Festa da Taça em Espinho


O nosso Sporting vai defrontar o SC Espinho, no Estádio Comendador Manuel Violas, na IV Eliminatória da Taça de Portugal, segundo ditou o sorteio realizado, esta manhã, na sede da FPF.
Curioso o regresso do futebol ao mais alto nível a Espinho. O Sporting vinha de um confronto com o FC Porto e com tal, a menos que jogasse com Benfica ou Braga, dificilmente seria um sorteio com igual grau de dificuldade em termos teóricos. Defrontamos assim um adversário do CNS, sendo que poderá permitir ao Marco Silva lançar alguns jogadores menos utilizados, sempre sabendo que uma excessiva rotatividade pode causar uma surpresa perante este tipo de equipas inferiores muito motivadas.
Acima de tudo espero que encarem o jogo com seriedade, pois só assim se consegue vencer nestes jogos teoricamente mais fáceis da taça de Portugal.

domingo, 26 de Outubro de 2014

Complicar para golear

Sporting vs Marítimo (Lusa)

Estou satisfeito pela vitória pois entrámos no jogo como pretendíamos; sem acusar o desgaste psicológico do resultado em Gelsenkirchen. A primeira parte deu-nos a impressão que o jogo iria ser uma espécie se passeio, mas foi um pensamento erróneo. Ao intervalo, o resultado era largo mas claramente justo. Estávamos alertados para o que podia acontecer, porque o Marítimo é uma equipa perigosa no ataque comandada por um treinador bastante competente que só agora dá os primeiros passos a solo. No inicio da segunda parte tivemos momentos de desconcentração que não podemos ter e que permitiram que o Marítimo fizesse dois golos. Serve de lição: não podemos adormecer quando temos uma vantagem confortável. Não estivemos tão tranquilos como devíamos, e tínhamos de controlar o jogo de outra forma. «Não podemos cometer os erros que cometemos», disse bem Marco Silva à SportTV no final do encontro. E eu pessoalmente não esperava por facilidades já normalmente o Marítimo engata bons jogos em Alvalade. Mas depois de 3-0, entrar a "dormir"? Não compliquem.

Nani - Nani sempre Nani, Nani em todo o lado. Fizemos três golos numa primeira parte que praticamente decidiu o jogo e nessa altura foi Nani que empurrou o leão para a frente. Assistiu João Mário para o segundo golo e Paulo Oliveira para o terceiro, por exemplo, mas rematou também por duas vezes a rasar o poste: seriam dois golaços. Na segunda parte não foi tão vibrante, mas ainda atirou à barra na marcação de um livre.

Adrien Silva - Encheu o campo, outra vez. Não deu nas vistas como em Gelsenkirchen, é certo, mas surgiu no centro, à direita e à esquerda, recuperou bolas, pressionou, saiu a jogar, enfim. Enorme.

Paulo Oliveira - Muito atento, recuperou várias bolas por ler o jogo antes de todos e antecipar-se aos adversários. Entre um ou outro corte providencial, é verdade, não teve uma ou duas falhas, que ainda assim não chegam para manchar a exibição muito boa e que pelo meio até foi coroada com um golo de estreia de leão ao peito.

Fredy Montero - Voltou a marcar, depois de Penafiel, mas esta noite não fez apenas um golo: fez um golaço. Um grande golo de craque. Partiu da direita, percebeu que a inteligência de Adrien lhe ia colocar a bola no espaço, movimentou-se para lá, recebeu de peito e rematou todo no ar de forma acrobática. Ninguém se lembrou de Slimani.

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Nojo

Schalke 04 vs Sporting (Reuters)

É a única palavra que me ocorre neste momento para descrever o que vi hoje. Não me lembro de termos sido tão prejudicados numa competição europeia como hoje. Até poderia dizer que caímos de pé, mas não é verdade porque fomos bem empurrados para o charco. Nem nos meus mais belos sonhos pensaria marcar hoje 3 golos na Alemanha perante este adversário, contudo mesmo assim foi possível perdermos. Nem se pode dizer que a equipa tenha estado mal; jogamos sempre cheios de personalidade com 11 e com 10. Depois da expulsão e 3º golo sofrido a equipa soube ser inteligente e jogar com as melhores armas que tinha ao dispor, ou seja, o talento dos nossos extremos. Considero que este Schalke está perfeitamente ao nosso alcance.
O apuramento matematicamente é possível, sim. É imperativo vencer os dois jogos em casa e depois esperar que o Chelsea vença na Alemanha, e na última jornada pelo menos beneficiaremos do jogo do Schalke e do Maribor para ficar pelo menos em terceiro lugar.

Em Alvalade, e com onze (espero), até os comemos!

Mais do que uma vitória


Hoje é dia de jogo e não é um jogo qualquer. Para termos hipóteses de atingir o segundo lugar no grupo, hoje é imperativo ganhar. Este é um jogo tão ou mais importante do que o último. Pode não ter a mesma carga emocional mas só vos peço que pensem no seguinte:
Qual será a azia do nossos rivais e por extensão da comunicação social se (e isto é mais do que possível) a equipa dos tostões for a única a passar a fase de grupos da Liga dos Campeões?
Isto era uma vitória incrível em todas as frentes. Mostrávamos que afinal não é com fundos que nos podemos aproximar da elite europeia, que se deve apostar mais no jogador português, já para não falar do dinheiro que nos entraria nos cofres do qual precisamos como de pão para a boca.
Só espero que Marco Silva não os deixe relaxar; a vitória no dragão foi só o primeiro passo, agora urge consolidar a nossa posição e fazer dessa vitória a primeira de muitas… rumo aos títulos.

Vamos lá rapazes!

domingo, 19 de Outubro de 2014

Análise Champions: Schalke 04


Se é verdade que o Sporting nunca defrontou o Schalke 04, contra alemães são vários os registos de confrontos mas as memórias dos leões são tudo menos boas. Das 18 partidas que se registam na história do futebol entre Sporting e alemães só por uma vez o triunfo foi para o lado verde e branco – contra o Hertha Berlim na fase de grupos Liga Europa 2009/10 - 1x0, golo de Adrien Silva. De resto são cinco os empates e 12 as derrotas numa lista de partidas que se estendem dos anos 70 até à presente década.

Os alemães do Schalke 04 são uma presença já assídua nestas andanças de Champions League. A equipa de Gelsenkirchen apresenta habitualmente um conjunto muito sólido e que costuma criar muitas dificuldades aos seus adversários (principalmente quando joga em casa). O treinador Jan Keller tem uma equipa sem grandes mudanças e à sua disposição conta com jogadores ofensivos de qualidade superior como Draxler, Huntelaar, Farfán, Sam ou Boateng para provocar estragos nas equipas adversárias e marcar presença nos oitavos de final da prova. Os alemães são uma equipa muito bem trabalhada, muito forte táctica e fisicamente e com jogadores que pela sua qualidade podem fazer a diferença. Não sendo uma das equipas de Top europeu, os homens de Gelsenkirchen devem ser respeitados. O ponto fraco dos azuis é concerteza a sua defesa principalmente nas laterais; Howedes, Felipe Santana e Matip são todos lentos e duros de rins o que poderá ser um ponto a aproveitar. Um Sporting muito forte e competente poderá superar esta equipa alemã.