quinta-feira, 15 de março de 2012

Eliminatória histórica, City eliminado!

 
Foi lindo! Foi de leão! Foi de Sporting Clube de Portugal! Estamos nos quartos-de-final da Liga Europa depois da derrota mais saborosa de que há memória!
Entramos melhor no jogo, sem receios do poderoso adversário, e apresentando uma organização defensiva irrepreensível. Na primeira parte os "citizens" praticamente não tiveram oportunidades de golo, revelando no cardápio pessoal como lance mais perigoso um remate de Adam Johnson ao lado, após cruzamento de David Silva na esquerda e uma falha de Pereirinha. Terá sido o único lance em que a ausência de João Pereira, castigado, terá sido recordada. De resto, ninguém dava pela sua falta e Polga fazia também esquecer Onyewu, lesionado. O primeiro lance ofensivo de verdadeira ameaça no encontro foi nossa aos 8 minutos, com Xandão a cabecear a bola para perto da baliza de Joe Hart, no seguimento de um canto marcado por Matías Fernández.
Mas a grande figura da nossa parte era um senhor Matías que dava bem que fazer aos ingleses. Aos 26 minutos o chileno endiabrado caía na grande área dos de Manchester, mas o árbitro marcou simulação e deu-lhe o cartão amarelo. Fica a ideia de que Pizarro lhe tocou, contudo, o aparato da queda terá motivado a interpretação de teatro do homem do apito.
"Determinação, humildade e rigor tático", foi a fórmula que Godinho Lopes, deu para o jogo. Em campo os pupilos de Ricardo Sá Pinto davam mostras de terem estudado perfeitamente a lição e nas bancadas ouviam-se os adeptos verde e brancos, sinal da noite boa da equipa leonina.
Mais se ouviriam as vozes dos portugueses aos 33 minutos quando Matías Fernández inaugurava o marcador com um grande golo, marcado de livre direto. O "enfant terrible" Mario Balotelli cometeu a falta sobre Insúa que originou o lance.
Ainda antes do intervalo gritámos novamente goloo: Wolfswinkel atirava para o fundo das redes, aos 40 minutos, depois de um passe matemático de Izmailov. Era um Sporting seguro e personalizado que se exibia no Estádio onde o Manchester City goleou o FC Porto por 4-0 na eliminatória anterior da Liga Europa. 

Depois do intervalo, acho que começamos demasiado cedo a defender a vantagem confortável perante um City que se via obrigado a um esforço maior. Aos 55 minutos o treinador Roberto Mancini atirava para o relvado Dzeko, mas seria dos pés de Sérgio Aguero que surgiria o primeiro golo dos "citizens" no encontro. Aos 60 minutos, o genro de Maradona dava esperança aos da casa.
No nosso banco, Sá Pinto mudava a estratégia e tirava de jogo Capel e Matías, colocando em campo Jeffrén e Renato Neto. E o jovem que regressou em janeiro de empréstimo ao Brugge seria decisivo na segunda parte, mas pela negativa, marcando a falta desnecessária sobre Aguero que originou o penalti contra nós. Aos 75 minutos, Mário Balotelli empatava o jogo marcando com destreza a grande penalidade tão benevolamente oferecida.
O 3-2 seria apontado por "Kun Aguero" aos 83 minutos, depois de um lance de bola parada. O argentino colocava o City na frente do marcador, mas a vantagem na eliminatória era ainda nossa.
Os últimos minutos do encontro foram de nervos à flor da pele e ganhou quem teve Coração de Leão! O nosso Sporting sofreu a bom sofrer, mas resistiu. O guarda-redes Joe Hart quase desfazia o sonho quando, já depois dos 90, subiu à área de Rui Patrício, e foi o nosso guardião quem salvou os "quartos", com um desvio precioso. A sorte anda a par dos audazes e os homens de Sá Pinto fizeram por merecê-la!


Rui Patrício - Até nem teve um jogo muito ativo. Na primeira parte pouco fez, na segunda teve de saltar ao alto para apanhar bolas. Mas foi no fim que brilhou: Joe Hart na área, o inglês cabeceia, o Rui desvia e segura a eliminatória.
Polga/Xandão - Mais uma excelente exibição do par brasileiro. Polga usou toda a sua experiência sobre os adversários, contribuindo muito com boas antecipações e cortes. Já o gigante Alexandre, teve trabalhos aéreos que cumpriu na perfeição, e ainda teve oportunidade de golo.
Matías Fernández - El Crá tem sido uma constante ultimamente. Tem mostrado níveis exibicionais impressionantes, e creio que está na melhor forma e mais continuada desde que chegou ao nosso clube. Como é hábito, coordenou as jogadas ofensivas, esteve tremendo no 1x1 e ainda marcou um golaço.
Insúa/Pereirinha - O argentino foi muito importante hoje. Esteve bem tanto ofensiva como defensivamente. Fez cortes preciosos e á vezes até fez de central. No ataque, saia a jogar com Capel. 
Já Bruno Pereirinha teve uma prestação que me impressionou. Se antes do jogo  a lateral direita era uma das minhas preocupações, com o decorrer do jogo fiquei confiante em relação a Pereirinha. Foi muito competente na defesa e envolveu-se também no ataque. Ajudou também na perca de alguns preciosos segundos.
Wolfswinkel - Depois do regresso aos golos no jogo frente ao Vitória, Ricky voltou hoje a mostrar o que vale. O golo, esse foi cheio de oportunismo e sangue frio, mas a sua exibição foi muito mais que isso. Recuperou bolas, fez pressão, e pôs os nervos em franja ao central sérvio Savic.
Izmailov - Como Matías, tem sido fulcral, neste crescendo de forma da equipa. Sá Pinto está a saber potenciar os dois. O russo esteve muito bem: teve trabalhos defensivos ajudando Pereirinha e na hora de contra atacar, foi competente. Anotou uma assistência.
Renato Neto - Em alta competição e em jogos de tamanho gabarito, erros têm de ser escassos. Notou-se algum nervosismo no jovem em ter a bola. Na ânsia de a recuperar, cometeu uma grande penalidade para um golo escusado.

7 comentários:

Vitto Vendetta disse...

Parabéns!

MaximinoMartins disse...

Só discordo do vermelho ao Renato Neto...

Fiquei com muitas dúvidas que tenha mesmo sido penalti...!!

Leo disse...

Eu deixei-o como destaque negativo porque pareceu-me um pouco nervoso no jogo, fruto, quiçá, da falta de experiencia ao mais alto nível.
É obvio que com isto não quer dizer que ele não presta...

Obrigado Vitto!

CR4 disse...

Excelente crónica. O lance do penalty é claramente inexperiência do Renato Neto. Não havia necessidade de arriscar um corte daqueles, quando estávamos a ganhar.

Caga-Boi disse...

O Renato Neto nem sequer tocou no palhaço do City!

jon cena disse...

olha aqui neste blog q encontrei por acaso qd procurava o video do jogo , ve se claramente na repetiçao q o renato neto tem a perna ja esticada e obviamente q o pé do aguero nao pode estar dentro da linha..foi um salto de piscina..quem souber parar a imagem e copiar pra mostrar a quem duvida..

jon cena disse...

http://lets-football.blogspot.pt/2012/03/manchester-city-vs-sporting-cp-3-2.html