sábado, 7 de janeiro de 2012

O leão cresceu!

Sporting x FC Porto (0-0)

Este leão que Domingos diz ser ainda de papas Cerelac, parece que quer já começar pelas batatas e pelo feijão. Isto porque o leãozinho cresceu. E cresceu na medida em que se batalha de igual para igual contra aqueles grandes medonhos. Muitos dirão adeus ao titulo; eu digo olá ao leão que temos agora. Mesmo com os percalços de crescimento (lesões) e alguns desfalques vimos hoje um Sporting á altura de um campeão português. Ai se tivéssemos o Rinaudo... ai se tivéssemos o Izma a 100%... ai se tivéssemos um bom par para o Capitão América.... Tudo isto seria desculpa para uma derrota, mas temos a noção do que a equipa é capaz de fazer sem nenhuma das situações anteriores. Mas vamos ao jogo!
O clássico deu em nulo esta noite, no "jogo grande" da 14.ª jornada da I Liga, que acabou por deixar as duas equipas separadas pelos mesmos seis pontos. Renato Neto foi a surpresa neste encontro, que poucos dias depois de ter chegado a Lisboa, entrou no onze que teve oito reforços em relação à época passada. E por isso houve uma grande diferença na coesão e ligação entre os jogadores? Não se notou.
Os primeiros instantes foram marcados por uma visibilidade reduzida, devido ao fumo vindo das bancadas. No meio do falso nevoeiro, foi possível ver um cartão amarelo exibido a Elias, por falta sobre Cristián Rodríguez, e logo no segundo minuto. Poderia ter sido um sinal que o desafio iria ser duro... Nada disso. É raro, especialmente num clássico, mas o jogo terminou sem que a habitual maca tivesse estado uma única vez dentro das quatro linhas. O jogo começou por ser sobretudo rápido, intenso, mas também trapalhão. Entre transições rápidas e espaços concedidos pelas duas defesas, o Porto deu os primeiros sinais de perigo,mas foi Polga que levou Helton a realizar uma das defesas da noite.  Nós atacávamos mais, muito à base da rapidez, e com diversos ressaltos e sobras de bola pelo meio. Os rasgos velozes de Carrillo tinham resposta do outro lado, por parte de Hulk. Eram sobretudo estes dois que tentavam aproveitar os erros nos posicionamentos contrários em jogadas rápidas ou contra-ataques. Se na primeira meia hora houve várias jogadas perigosas junto das duas áreas, os últimos 15 minutos pouco interessantes e o desafio "arrastou-se" até ao intervalo. Entrega dos jogadores via-se, mas lances bem construídos nem por isso.
Os azuis entraram melhor no início do segundo tempo. Nós parecíamos nervosos nos minutos iniciais, com várias falhas a meio-campo. Uma dessas perdas de bola originou novo rasgo perigoso de Hulk, mas Rui Patrício fez uma excelente defesa. Demorou pouco para os misters começarem a mexer para tentar modificar o rumo da partida. E curiosamente - ou não - com métodos semelhantes, já que Domingos Paciência e Vítor Pereira substituíram um médio-centro e dois extremos: do nosso lado saíram Neto, Carrillo e Capel, entraram Matías, Izmailov e Evaldo; Djalma, Belluschi e Cristián deram lugar a James, Defour e Kléber, nos portistas. Ao contrário do que aconteceu na primeira parte, nesta etapa complementar foi o último quarto de hora a despertar muito mais interesse do que a primeira meia hora. Hulk marcou um golo. No entanto, estava fora de jogo no momento do passe de Cristián. Uma irregularidade que demorou a ser assinalada, que causou até alguma confusão, mas foi bem assinalada. Wolfswinkel andou pouco sinspirado, mas numa jogada conseguiu ser mais rápido que Rolando, mas Helton foi superior. Novamente Wolfswinkel e depois Izmailov tiveram a baliza ao seu dispor, mas Alvaro serviu como guarda-redes e evitou o golo. Era-mos nós que pareciamos mais perto de inaugurar o marcador, mas os portistas também não se esqueceram da baliza contrária e, já nos descontos, Otamendi tirou literalmente o golo a James. O colombiano aproveitou um ressalto, ia marcar, rematou, mas a bola bateu no argentino.
No final, resultado justo. Muita entrega, pressão mútua, disputa constante a meio campo, e quando as oportunidades surgiram os dois guarda-redes mostraram porque estão lá. Contudo notou-se a diferença deste Sporting, para o de outras épocas.
+ Positivo
Onyewu - Os defesas superiorizaram-se aos avançados neste clássico, e do nosso lado foi o Capitão América a comandar as operações.  Ele venceu a maioria dos confrontos com Hulk, e esteve irrepreensível a tirar bolas.
Renato Neto - Foi a surpresa do onze de Domingos, com honras de titular logo na primeira vez que é convocado. Não foi uma exibição perfeita (seria tremendamente injusto esperar isso), mas deixou sinais bem positivos, e no contexto de um clássico.
Schaars - Decide quase sempre bem, com rigor, de régua e esquadro nas mãos. Após a saída de Renato Neto passou para a posição seis, perdendo algum protagonismo.
Rui Patrício - O Marrazes e o brasileiro Helton, foram para mim os homens do encontro. Exibições de top, que não permitiram que as suas balizas fossem violadas.
Izmailov - Entrou na segunda parte com vontade e isso viu-se na excelente exibição que fez. Cheio de técnica e classe, dinamizou a ala e teve até uma das melhores oportunidades de golo. Pena é que no fim Izma tenha saído tocado...
- Negativo
Polga - Perdeu praticamente todos os duelos com Hulk, e talvez por isso tenha sido Onyewu a fazer a maior parte desse trabalho. A idade de Polga já não lhe permite a velocidade de outros tempos e por isso talvez seja a deixa de Xandão.
Wolfswinkel - O rapaz, desde que cortou o cabelo, parece que anda desinspirado. A entrega e luta na frente foram as mesmas de sempre, mas na hora da verdade, quando se pedia por exemplo um remate á baliza, o que acontecia era uma perda de bola.

3 comentários:

aznag. disse...

Muito mal jogado, principalmente durante a primeira parte, muita luta a meio campo onde as equipas estavam muito encaixadas uma na outra e não conseguiam criar oportunidades de perigo. Apenas na segunda parte e com o Sporting a partir mais para o ataque para conseguir marcar, o jogo começou a ficar mais partido e mais interessante. A segunda parte foi, sem duvida, melhor que a primeira mas pedia-se mais num jogo desta importância.

http://artigosdefutebol.blogspot.com/


Parceria?

Leo disse...

Claro!

Anónimo disse...

Tivemos oportunidades de vitoria!