segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Vitória ao sabor de Van Basten

Sporting vs Belenenses (LUSA)
Foi um triunfo suado, aquele que o Sporting conseguiu frente ao Belenenses. Mas acabou por justificá-lo na segunda parte. Dois golos holandeses, apontados na segunda parte, colocaram-nos nos quartos-de-final da Taça de Portugal, onde vamos defrontar o Marítimo. Mas o Belenenses de José Mota demonstrou, se dúvidas houvesse, que há bom futebol na Liga Orangina e obrigou-nos a correr mais do que se estaria à espera para garantir o apuramento.

O Belenenses apresentou-se no estádio do único grande ainda em prova na competição com a lição muitíssimo bem estudada. José Mota, experiente, não inventou e apostou numa estratégia de contra-ataque puro, com uma defesa reforçada e um meio-campo que recuava em bloco sempre que o Sporting tinha a posse da bola. Quando os nossos homens falhavam um passe em zona proibida, o que na primeira parte aconteceu com frequência, os visitantes aproveitavam para lançar os homens da frente. O Sporting foi-se deixando cair na armadilha gizada por José Mota. A frente de ataque, constituída por van Wolfswinkel, no centro, e Capel e Bojinov nos flancos, esbarrava na muralha contrária. O meio-campo denotava pouca velocidade e ainda menos criatividade.  Apenas dois remates de Schaars – o mais esclarecido esta noite – aos 12 e 13 minutos não tiveram sequência na meia-hora seguinte. Pelo contrário, o Belenenses teve oportunidades de golo. Aos 15 minutos, Sidnei deu o mote, ao fazer a bola passar perto da baliza de Rui Patrício. Aos 25, foi Rodrigo Nascimento a desperdiçar um contra-ataque, com três homens do Belenenses para dois do Sporting; quatro minutos depois, Sidnei esteve novamente perto de festejar; e aos 32 Rodrigo errou o alvo por muito pouco.
A segunda parte começou como a primeira tinha acabado. Os primeiros a causarem perigo foram os de azul: Camará ganhou  a Insúa e rematou por cima. Mas fomos nós a marcar logo a seguir. Jogada rapidíssima e exemplar de contra-ataque, entre Carriço, Capel e Insúa, para o argentino cruzar de forma perfeita. Van Wolfswinkel, como de costume no sítio certo, não falhou. Estava feito o mais difícil. O Sporting acordou, o Belenenses abriu espaços e o cariz do jogo passou a ser outro. Capel meteu a bola na baliza, a passe de trivela de Carrillo, mas não contou (creio que má decisão do arbitro). E os holandeses do Sporting resolveram em definitivo o assunto dois minutos depois: Schaars tocou para van Wolfswinkel, que devolveu ao compatriota para este fazer o 2-0. Mais simples e eficaz era impossível, muito ao estilo letal de Marco Van Basten. Até final, referência apenas para mais alguns minutos dados por Domingos a André Martins, e pela aposta em Santiago Arias. E assim seguimos em frente na Taça, com o Jamor no pensamento.
+ Positivo
Wolfswinkel - Muito tapado no primeiro tempo, o lobo desbloqueou a eliminatória na etapa complementar. Inaugura o marcador apenas cinco minutos depois do reatamento, e faz mais tarde a assistência para o segundo golo, apontado pelo compatriota Schaars.
Carriço - Novo jogo, nova boa exibição. A atuar a trinco Carriço tem outras liberdades, e por isso mesmo nesta posição usa menos o cabeceio e mais o corte, ao que se junta uma boa capacidade de passe que tem revelado.
Schaars - O meio campista esteve bem como sempre, e aqui e ali vai coleccionando uns golitos. Frente a um adversário muito compacto defensivamente, o médio holandês esteve incansável à procura de espaços para servir os avançados. 
- Negativo
Bojinov - Quase nem se viu na primeira parte, e isso porque Domingos não o pode pôr a extremo, pois não é a sua posição nem serve as suas características. 

3 comentários:

Anónimo disse...

PARA MIM NO DESTAQUE NEGATIVO PONHA TAMBEM O JOÃO PEREIRA A NIVEL DEFENSIVO, A MARCAÇÃO MAL FEITA E DEIXOU VARIOS ESPAÇOS SEM NECESSIDADE ONDE O BELENENSES ATACOU.

MAS NO GERAL FOI UM BOM JOGO

Anónimo disse...

O Bojinov é extremo-esquerdo, não é avançado-centro.

Leo disse...

O Bojinov até podia ser lateral, caro anónimo... Acha que as características do búlgaro servem para ele jogar nas alas?