quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Derrota suplente


A Lazio levou a melhor sobre um desfalcado Sporting por 2-0, num dos jogos que fechou as contas do Grupo D da Liga Europa. Em Roma, e como já se sabia, Domingos Paciência apresentou uma equipa remodelada quase por completo. Apenas Onyewu e Schaars "resistiram", entre os habituais titulares. Com cinco juniores nos convocados, um deles alinhou de início: Tiago Ilori, que jogou ao lado do norte-americano no centro de defesa.
Como se esperava, os italianos começaram melhor no encontro, a criar algumas jogadas de perigo junto da baliza de Marcelo, mas sem verdadeiras ameaças nos primeiros minutos. Entre os dois centrais "gigantes", mas pouco entrosados, continuavam a surgir espaços, não aproveitados da melhor forma pela Lazio. E foi precisamente Ilori que, involuntariamente, esteve perto de oferecer um golo ao adversário, num atraso a Marcelo mal calculado. Sculli, apesar de isolado, não inaugurou o marcador.
Até ao intervalo a Lazio continuou a ser a equipa mais ofensiva e chegou mesmo ao golo. Ficou aberto novamente um "buraco" no centro da nossa defesa, mas desta vez os locais aproveitaram. Foi Kozák a marcar de cabeça, respondendo da melhor forma a um cruzamento de Lulic. Erro no centro, mas também do lado direito da defesa, onde foi oferecido espaço a mais a Lulic, que centrou à vontade após um canto.
Sem alterações ao intervalo, logo no segundo minuto da segunda parte o Sporting criou mais perigo do que durante todo o primeiro tempo. Foi Bojinov, com dois remates já dentro da área, seguidos por uma ameaça de longe de André Santos, pouco depois. Começámos melhor, mas foi a Lazio a marcar novamente. Para não variar, apareceu um jogador isolado e desta vez Sculli, fez o 2-0 sem grandes problemas. Insua, Carriço entraram, o júnior João Mário estreou-se (com um nível interessante), mas a dinâmica não mudou até final. Se a partida até aí esteve pouco interessante, a monotonia foi ainda maior a partir do segundo golo italiano. Bojinov, num livre, e Pereirinha "acordaram" um pouco os adeptos já perto do apito final, mas sem resultados práticos.
+ Positivo
Onyewu - Foi dos poucos bons elementos a actuar, e não comprometeu. Liderou a nossa e defensiva e ganhou todos os duelos.
Carrillo - Foi o melhor elemento ofensivo pelas jogadas que criou. No entanto definiu mal 80% dos lances.
João Mário - Jogou apenas 20` minutos, mas esse tempo chegou para demonstrar qualidade. Mostrou presença e maturidade invulgar num junior.
- Negativo
Evaldo - É uma vergonha vermos um lateral que não sabe fazer um cruzamento de jeito. Defensivamente até esteve bem refreando Cissé, mas no ataque onde podia ter feito melhor, não o fez. Quer me parecer que Evaldo nem para suplente é bom...