terça-feira, 23 de agosto de 2011

Se mais dúvidas houvessem...


Se mais dúvidas houvessem relativamente à podridão que reina no futebol português em geral, e na arbitragem em particular, esta semana tivemos mais uma prova.
É absolutamente ridícula toda esta polémica em torno da recusa de João Ferreira em apitar o jogo Beira Mar x Sporting da última jornada, mas para os que ainda não perceberam bem o que se passou, vamos falar de factos, e por ordem cronológica.

Sábado, 13 de Agosto - Tudo parece começar há uma semana quando o Sporting se queixa e com toda a razão de que houveram erros grosseiros que influenciaram o resultado do jogo com o Olhanense.
Domingos diz que Carlos Xistra teve uma noite muito má, e Carlos Freitas completa depois deixando também algumas críticas ao trabalho do árbitro. Tanto Domingos como Carlos Freitas foram os mais correctos possíveis nas palavras que disseram, salvaguardando a idoneidade de Carlos Xistra, no sentido em que nunca disseram que os erros foram cometidos em consciência de querer prejudicar o Sporting.

Quarta-feira, 17 de Agosto - É nomeado o árbitro João Ferreira para apitar o jogo Beira Mar x Sporting. Ora, só alguém muito inocente pode não considerar esta nomeação com uma clara provocação ao Sporting. Conhecendo de antemão o historial do sr. João Ferreira em jogos do Sporting, esta nomeação após uma jornada com tanta contestação ao nível da arbitragem foi literalmente gozar com a nossa cara. Se isto fosse do outro lado da 2ª circular, ou mais a norte, provavelmente haveria uma reacção oficial a esta nomeação, como aliás aconteceu há menos de um ano quando Carlos Xistra foi nomeado para apitar o Braga x Benfica. Alguns certamente ainda se lembrarão de como reagiu o Braga, nada mais nada menos que com comunicado oficial “O Sporting de Braga não pode deixar de manifestar a sua admiração pela nomeação de Carlos Xistra. Em causa não está, naturalmente, a qualidade do árbitro, mas sim os critérios que levaram à sua nomeação, após um desempenho claramente negativo num jogo recente (Nacional - Sporting)”, seguido logo depois da declaração de Jorge Jesus: "Carlos Xistra é um árbitro que as pessoas de Braga gostam”. Como este episódios há muitos outros e mais vergonhosos ainda, ou será que os senhores árbitros (ofendidos) já se esqueceram da palhaçada que foi o ano passado, com o Luís Filipe Vieira a pedir aos adeptos que deixassem de ir ver os jogos fora, enquanto durassem os erros de arbitragem que estavam a prejudicar o benfica?
Mas contrariamente a isto tudo, o Sporting, que é como gostamos de dizer, um clube diferente, não reagiu sequer a esta nomeação, e não deu qualquer importância à provocação do senhor Vítor Pereira. Que os pasquins que temos por jornais desportivos o tenham escrito, não dúvido, mas isso é o prato de cada dia, eles têm que encher os jornais com alguma coisa, e numa altura em que o mercado está a fechar é difícil impingir mais resmas de jogadores aos adeptos. Então diz-se que alguém do Sporting mostrou desagrado com a nomeação, com tanta mentira que se inventa esta certamente ninguém vai estranhar pois é sabido que o Sporting não pode ver o João Ferreira nem pintado.

Quinta-feira, 18 de Agosto - O mais engraçado começa é no dia seguinte, em que João Ferreira comunica ao Sr. Vítor Pereira que não vai comparecer no jogo de Domingo. Segundo consta essa comunicação foi feita na manhã de quinta-feira, mas como o sr. Vítor Pereira andava muito ocupado, João Ferreira foi obrigado a enviar um Fax para a Comissão de Arbitragem para oficializar a sua intenção de escusa do jogo para o qual fora nomeado. Outra questão pertinente é porque é que os auxiliares e o 4º árbitro que estavam nomeados também decidiram não comparecer, e se não seria mais simples nomear imediatamente um substituto para João Ferreira, antes de toda esta história se tornar pública.

Sexta-feira, 19 de Agosto - o presidente do Sporting, Godinho Lopes, convoca uma conferência de imprensa, na qual divulga um documento com medidas que visam melhorar o nível da arbitragem em Portugal, dando melhores condições aos árbitros para fazerem o seu trabalho com competência e maior responsabilização destes perante as decisões que tomam no decorrer dos jogos. Mais do que apenas criticar, como outros fazem, o Sporting deu possíveis soluções para um problema que vem cada vez mais vai matando o futebol, porque um futebol sem o mínimo de verdade desportiva acabará mais tarde ou mais cedo por afastar os poucos adeptos que ainda acreditam neste desporto, e se mobilizam todas as semanas para encher algumas das cadeiras dos nossos modernos estádios. Certamente que se os senhores árbitros que se mostraram solidários com o colega João Ferreira, tivessem perdido meia hora das suas vidas a ver essa conferência não teriam essa atitude ridícula, e quem sabe até poderiam ter aprendido algo sobre a postura do Sporting neste assunto.

Domingo, 21 de Agosto - não havia árbitro de 1ª categoria para apitar o jogo, pelo que à própria da hora foi escolhido Fernando Martins, árbitro da 2ª regional de Aveiro. João Ferreira achou que não tinha condições, Fernando Martins achou que tinha e cumpriu com distinção. Tivesse ele sido melhor auxiliado e teria certamente sido a melhor arbitragem que calhou ao Sporting nos últimos tempos. No fim, ainda ganhou 1300 euros com o assunto. Realmente, em tempo de crise, para uma pessoa recusar ganhar 1300€ por 2 horas de trabalho é porque deve viver bem, e não precisa de ser árbitro profissional para nada. Ou isso, ou tem outros rendimentos por fora que não vêm declarados no IRS, se calhar aproveitou a subida do ouro e vendeu uns apitos que tinha lá em casa.

Segunda-feira, 22 de Agosto - após toda a polémica, e a clarificação de alguma da (des)informação que tinha passado, os árbitros reuniram-se ontem à noite em Leiria, e o que é certo é que alguns deles aceitaram prontamente apitar o jogo contra o Marítimo da próxima jornada. Se calhar há uns melhor informados que outros e que perceberam o circo que está aqui montado, ou se calhar há alguns mais imparciais na forma como lidam com o Sporting...enfim.

Fala-se agora em processo disciplinar para João Ferreira, mas assim sendo o processo devia ser estendido a todos os energúmenos que se recusaram a apitar o jogo sem justificação válida, terminando com a demissão do Sr. Vítor Pereira que não soube, ou não quis, resolver esta situação como se exigia. Estamos a falar do principal campeonato do futebol português, e não do campeonato do Inatel, em que aí sim os árbitros se não lhes der jeito não aparecem e escolhe-se um cromo qualquer da bancada para apitar. Aqui estão milhões de euros em jogo, e não pode haver lugar ao amadorismo. É tempo de acabar com a impunidade dos árbitros face a erros sistemáticos, pois se os dirigentes, os treinadores, e os jogadores são punidos pela não apresentação de resultados, sob que pretexto os árbitros, com toda a importância que têm no desenrolar dos acontecimentos, se podem abstrair de ser avaliados e compensados/prejudicados consoante os seus resultados?

Só espero que neste caso, não se lixe como de costume o mexilhão, e que isto sirva pelo menos para abrir os olhos a quem tem o poder nos organismos de decisão do futebol profissional em Portugal. E que esses senhores que se recusaram apitar o grande Sporting Clube de Portugal pensem bem se estão no cargo certo pois se não aguentam a pressão, troquem com o senhor Fernando Martins, e vão apitar para a distrital porque não têm a mínima capacidade nem competência para pertencer à primeira categoria.

CR

6 comentários:

Anónimo disse...

Grande Post muitos Parebéns
Ganhou um leitor

Anónimo disse...

*Parabéns

Leo disse...

Grande texto amigo Claudio!

CR4 disse...

Obrigado pelos comentários, infelizmente nem sempre há tempo para escrever como gostaria, mas vamos tentando ;)

CR4 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Muitas verdades aqui!

RUI