quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Mercado fechado, encarar o futuro!


Ontem foi dia de fecho do mercado de transferências, e como vem sendo hábito nos últimos anos, um autêntico stress para os Sportinguistas, com muitos colados ao PC em constante "refresh" no site da liga à espera de contratações de última hora para o nosso clube. Confirmaram-se as saídas de Turan (emprestado ao Beira-Mar), Postiga (Saragoça), Grimi(emprestado ao Genk) e finalmente Djaló para o Nice, apesar de, devido ao atraso da inscrição na Liga Francesa, ainda não haver confirmação por parte da FIFA de que a transferência é válida.
Estas saídas geraram várias emoções nos adeptos, se por um lado ficaram felizes por ver Yannick sair em troca de um razoável encaixe financeiro, outros ficaram estupefactos pela saída de Postiga por míseros 500 mil euros (mais 500 mil para o fcp) e ainda mais pela não entrada de outro jogador para o substituir. Antes de prosseguir recomendava a todos a leitura deste excelente post no blog Em Jogo sobre muitas questões que giram à volta deste mercado.
O futebol é cada vez mais um negócio obscuro, e há muito que já não nos devíamos surpreender com certas transferências que ocorrem em cada reabertura do mercado. Consideramos que somos um clube diferente, e que por isso não participamos em negócios estranhos, mas o que é certo é que temos também desportivamente perdido com isso, o que por si só deve levar a uma mudança de postura.
Vejamos por exemplo o caso do porto, e os negócios dos laterais Alex Sandro e Danilo. Se do lado direito o Porto joga habitualmente com Sapunaru que embora cumpridor, não é acima da média, e até se justificaria o reforço, do lado esquerdo tem Álvaro Pereira, um dos mais cobiçados laterais esquerdos a actuar na Europa. Justificava-se gastar 10 milhões na aquisição de Alex Sandro? Obviamente que não, a não ser que não fosse o Porto a pagá-lo, mas sim um qualquer fundo de investimento detentor do seu passe, que espera valorizá-lo jogando no dragão.
Se isto se passa no Porto, porque raio não há-de acontecer com o Sporting, e com a contratação de Elias? Era uma posição prioritária para reforçar? Não. Mas vem elevar bastante a qualidade do plantel? Sem dúvida! Então vamos rejeitar esta oportunidade, só porque precisamos mais de um avançado ou de um defesa-central? Provavelmente não houve um fundo capaz de colocar em Alvalade um ponta-de-lança de renome, que curiosamente também não houve para os lados do dragão, que viu partir um goleador como Falcão sem entrar ninguém.
Continuando, mal Villas Boas foi para o Chelsea começaram os rumores de que João Moutinho iria para o Chelsea num negócio conjunto com Falcão, de maneira a que o Porto pagasse o menos possível ao Sporting. Sim, não duvido que Pinto da Costa fosse rapazinho para isso e muito mais, mas será que a nossa troika (Godinho + Duque + Freitas) não tem a mesma inteligência para vender Postiga, de maneira ao Porto não ganhar mais de 500 mil euros? Se calhar teve…
Com a incompetência que tem reinado em Alvalade nos últimos anos, é mais do que justificada a apreensão dos adeptos, reforçada pelos maus resultados e pobre futebol praticado, nos primeiros jogos oficiais. Contudo não é possível desmentir que temos um plantel como há muitos anos não víamos, e embora também me preocupe podermos vir a jogar mais jogos com a dupla Polga - Carriço na defesa, pelo menos estou mais descansado por não ver Postiga como a principal referência ofensiva, e ainda apoiado pelo Yannick. Desta forma terá de haver uma aposta nos avançados que foram contratados este ano, e que muitos já querem catalogar como flop, sem haver ainda por parte de toda a equipa um fio de jogo que lhes permita ter situações de finalização em quantidade e qualidade suficientes para se poder inferir sobre as suas qualidades de matador. Se estas apostas foram mais ou menos arriscadas e se vão ou não dar certo, é bastante discutível, mas o que é certo é que foi nestes que se apostou e não é ao fim de 5 jogos que se lhes vai passar um atestado de incompetência e colocá-los a tempo inteiro no banco de suplentes.
A partir daqui estou em crer que a equipa só pode melhorar, pois para além de ser difícil fazer pior, espero que sejam resolvidos de vez os inúmeros casos clínicos que têm condenado este início de época e levado Domingos a tomar opções pouco felizes na constituição da equipa para cada jogo.
Já vimos Domingos a dar a volta por cima depois de maus arranques, em particular no campeonato do ano passado, e quero acreditar que depois perceber melhor com que linhas se pode coser este plantel, a qualidade do nosso futebol irá aumentar. Temos visto a espaços alguns bons momentos, e aparecendo as primeiras vitórias, e reforçando a confiança que tem faltado a alguns jogadores na hora de decidir (tanto a atacar, como a defender), esta equipa terá asas para voos mais altos.
Não sou cego ao ponto de não ver que esta construção de processos de jogo com a época em curso, terá consequências na ambição de conquistar títulos este ano, mas também ninguém poderia acreditar que seria fácil mudar tudo de um ano para o outro, e que seríamos campeões tranquilamente. O reerguer do Sporting tinha de começar por algum lado e foi começado, resta esperar para ver se haverá frutos para colher em Maio, ou se a árvore vai ser novamente mandada a baixo.
Esta revolução no plantel faz-me lembrar a última também protagonizada por Luís Duque após termos sido campeões. Tivemos uma época aquém das expectativas, mas o que é certo é que conseguimos construir uma equipa base que, para além de permitir o lançamento de alguns talentos da nossa formação no ano seguinte, com a entrada de Jardel nos levou ao título. É nisto que ainda reside a minha esperança, que se esteja a construir uma equipa base para alguns anos (vendo pela maioria dos contratos assinados por 5 épocas) que permita alguma estabilidade pois só assim se conseguirá chegar mais longe.
Cada Sportinguista teria a sua sentença e faria as coisas de outra maneira, escolheria outros jogadores e até outro treinador, contudo isso não passaria de suposições, e são estes os únicos que nos podem apresentar resultados práticos, e é com eles que vamos para a guerra. Se nós adeptos deixarmos de acreditar, mesmo que por mais débeis que sejam os nossos motivos ou por mais ilusórias que sejam as justificações que encontremos para o que se vai passando com o nosso clube, então estará dado o primeiro passo para a nossa ruína. Não deixemos de criticar o que está mal, sempre que haja motivo para o fazer, mas é imperativo que o façamos com o bom senso que os outros lá fora nunca terão para com o Sporting. Basta que se mostre a mesma indignação face a críticas internas que mostramos quando somos tratados pela comunicação social, de forma diferente dos nossos rivais.
Até Dezembro será esta a equipa que temos, e a oportunidade para o que poderia/deveria ter sido feito já passou, agora é altura de mostrar a máxima união possível em torno dos que lá estão, acreditar na estratégia escolhida e segui-la sem desviar do caminho ao primeiro contratempo, pois unidos seremos seguramente mais fortes.
CR

3 comentários:

CratoSempre disse...

Talvez tenha sido mesmo essa a jogada de mestre de Carlos Freitas e Luís Duque para que os corruptos recebam o menos possível... Esperemos que o Saragoça faça a sua parte e não desça de divisão nas próximas 3 épocas. Ganharam um adepto...

Quanto ao nosso futuro, acredito que ainda vamos festejar várias conquistas, pois os jogadores que vieram certamente irão acrescentar qualidade, não se pode fazer já o enterro aos moços pois ele pouco jogaram ainda.

Tenho este feitio de acreditar SEMPRE...
SL

Leo disse...

Excelente texto amigo Claudio!

SL

Miguel disse...

Grande texto!

O Sporting fez muito mal em ter vendido o seu melhor avançado e o titular de uma das selecções mais prestigiadas do mundo por meros 500 mil euros...